sexta-feira, 19 de abril de 2013

                            
                            


 

                 “Ser ou não ser, eis a questão!”

                  Ser ou estar  é a questão que completa e, cuja resposta talvez defina a questão.

                  Ser só! Todos na realidade o somos.

                   Sós “com nossos botões”, é que conjecturamos, que filosofamos, que avaliamos, questionamos, fazemos nossas opções e, tomamos nossas decisões.

                   Exercemos nossas livres escolhas e, assumimos nosso livre arbítrio.

                  O estar só é momentâneo, circunstancial, opcional, por vezes agradabilíssimo!

                   Estando sós é que ouvimos a voz do silêncio, ainda a música das esferas, a nossa consciência e o brado ou murmúrio de Deus que, em sua onipresença nos fala através do nosso coração, de cada molécula do nosso ser, como ainda, de toda a natureza.

                  Estando sós, nos encontramos, nos descobrimos, nos reencontramos e melhor, nos religamos a tudo e a todos, como ao Universo, sentindo o ritmo do pulsar cósmico em nós e, nos reconectando ao pulsar Universal!

                 Deixamos de ser sós, nos reconectamos com o Todo e assim, plenos e reintegrados, em harmonia, equilíbrio e paz, poderemos voltar a integrar com nossos irmãos, com o próximo, com aqueles em cuja companhia muitas vezes nos sentimos tão terrivelmente sozinhos, perdidos, abandonados!

                        


Um comentário:

Sue disse...

Ser só, conheço bem...
Estar só, pouco sei, muito imagino...
Do pouco que sei, acho tão bom!

Beijinhos, amiga!