quinta-feira, 3 de março de 2016

MORREU O ZÉ BRASILEIRO!

                                                                       
                                                                                 
                                   MORREU O ZÉ BRASILEIRO!




                - Pois é, morreu coitado, tão bom e jovem ainda!
                - Mas não me diga! Seo José? Tão sacudido, tão boa pessoa! Assim de repente? Mas morreu de que?
                - Oras, de que deveria ser? Novidade! Morreu de PT!
                - De PT disse você, mas como?
                - Não precisou muito não oh fio! Minaram a resistência do povo, que sofrido, sem dinheiro e sem comida, sem fé e esperança inté de trabaio, ficaram fraco e sem resistência imunológica, acabaram cás dignidade, roubaram inclusive a sanidade e paz de espírito! Tanto fizeram que até as  fronteiras abriram e entrou bicho de tudo que é espécie, erva, arma e inté Zica!
                Tudo encontrou campo aberto e propício prá procriá e tudo invadiu  e alastrou  que um cruzou com o outro e a gente hoje não sabe qual mosquito é bandido perigoso, até os mais de cara inocente, sem listra ou estrela são do enxame. Agora virou moda, qualquer  mosquito pode picar e transmitir a zica! Sabe, quando a porcaria é grande, tudo procria e cresce e o Brasil já tem fama de que “tudo que se plantar dá !” Dá pé de tudo! Derrubam as árvores, levam as nossas verdinhas e no lugar plantam de tudo. La no Planalto Central plantaram um pé de estrela vermelha que a tudo alumia da cor do sangue que esses voadores sugam do povo, que já não tem rumo e nem bandeira, sossego, sangue e nem sei se restou alma para defunto!
                - Coitado do “seo” José! Mas... ele morreu mesmo de que?
                - É isso aí meu amigo, de tudo isso e acabou coitado! Ocê sabe né, coitado é aquele que foi submetido ao coito e ele ficou a olhar as estrelas e aí pegaram ele de jeito, zicaram ele! É estuprado direitinho! Agora na cova rasa ou quem sabe lá no céu pensando num jatinho, coitado, num teve nem jeitinho, morreu., pobre Zé!
                PT. Saudações,

                                      Mariza C.C. Cezar
                                                     
                                                                               

5 comentários:

jouvana whitaker disse...

Coitadu do Zé...
coitadu de nóis zés do PT!!
ahhhh zicaaaademaisdaconta!!!

Flávio Tallarico disse...

O meu Zé Brasileiro morreu de morte matada. O Seu de tristeza, angustia e muita dor de viver em um país como você tão bem o descreveu. Vamos enterrar os dois em nossa memória literária. O meu Zé do Cordel e o seu Zé da bela crônica.

Ercy Longo disse...

Pois e! Nem a enterro decente teve direito o Ze! Morreu sozinho, abandonado ate pelos companheiros, de quem a malfadada doenca PT tirou ate a esperanca! Texto maravilhoso, Mariza, aquela das coisas, aquela que sabe das coisas!

Carlos Gama disse...

Não acho que o seu Zé seja coitado, não!
Eu acho que seu Zé Brasileiro é feliz, apesar de ter morrido tão sofrido, batido pela febre da desesperança.
Coitado mesmo é o Seu Zé Mané, que ainda vive de esperança, mas, vamos ver até quando.
Excelente, Mariza!

Suely Ribella disse...

Morreu?! oh, dó!
(risos)
Vc é ótima, Mariza!
Bjs!